DECISÃO

                  Trata-se de pedido de liminar, tendo por objeto assinatura e baixa na CTPS do autor, uma vez que, em face disso, ficou impossibilitado de acessar benefício previdenciário.

                  Pois bem, para a concessão de tutela em caráter liminar faz-se necessária a devida comprovação, ainda que sumária, dos fatos trazidos aos autos, para que se possa extrair os requisitos autorizadores da concessão pretendida, ou seja, o fumos bonis iuris e o periculum in mora.

                  Até este momento processual, nada trouxe o autor que pudesse ensejar a liminar pretendida, porque limitou-se a alegar em peça de abertura que teria deixado de usufruir benefício do INSS, porque a demandada não teria recolhido os benefícios previdenciários relativos ao perídodo laboral.

                O autor sequer trouxe sua CTPS para comprovar a vinculação empregatícia, não há qualquer documento acompanhando a petição inicial que permita uma análise mínima dos fatos in status assertionis. Razão pela qual indefiro a liminar objetivada.